sexta-feira, 24 de julho de 2015

Mas eu sempre terei esperança...

Em ti, Senhor, busquei refúgio; nunca permitas que eu seja humilhado.
Resgata-me e livra-me por tua justiça; inclina o teu ouvido para mim e salva-me.
Peço-te que sejas a minha rocha de refúgio, para onde eu sempre possa ir; dá ordem para que me libertem, pois és a minha rocha e a minha fortaleza.
Livra-me, ó meu Deus, das mãos dos ímpios, das garras dos perversos e cruéis.
Pois tu és a minha esperança, ó Soberano Senhor, em ti está a minha confiança desde a juventude.
Desde o ventre materno dependo de ti; tu me sustentaste desde as entranhas de minha mãe. Eu sempre te louvarei!
Tornei-me um exemplo para muitos, porque tu és o meu refúgio seguro.
Do teu louvor transborda a minha boca, que o tempo todo proclama o teu esplendor.
Não me rejeites na minha velhice; não me abandones quando se vão as minhas forças.
Pois os meus inimigos me caluniam; os que estão à espreita juntam-se e planejam matar-me.
"Deus o abandonou", dizem eles; "persigam-no e prendam-no, pois ninguém o livrará". -
Não fiques longe de mim, ó Deus; ó meu Deus, apressa-te em ajudar-me.
Pereçam humilhados os meus acusadores; sejam cobertos de zombaria e vergonha os que querem prejudicar-me.
Mas eu sempre terei esperança e te louvarei cada vez mais.
A minha boca falará sem cessar da tua justiça e dos teus incontáveis atos de salvação.
Falarei dos teus feitos poderosos, ó Soberano Senhor; proclamarei a tua justiça, unicamente a tua justiça.
Desde a minha juventude, ó Deus, tens me ensinado, e até hoje eu anuncio as tuas maravilhas.
Agora que estou velho, de cabelos brancos, não me abandones, ó Deus, para que eu possa falar da tua força aos nossos filhos, e do teu poder às futuras gerações.
Tua justiça chega até as alturas, ó Deus, tu, que tens feito coisas grandiosas. Quem se compara a ti, ó Deus?
Tu, que me fizeste passar muitas e duras tribulações, restaurarás a minha vida, e das profundezas da terra de novo me farás subir.
Tu me farás mais honrado e mais uma vez me consolarás.
E eu te louvarei com a lira por tua fidelidade, ó meu Deus; cantarei louvores a ti com a harpa, ó Santo de Israel.
Os meus lábios gritarão de alegria quando eu cantar louvores a ti, pois tu me redimiste.
Também a minha língua sempre falará dos teus atos de justiça, pois os que queriam prejudicar-me foram humilhados e ficaram frustrados.