sábado, 15 de agosto de 2015

Quem pode ver os seus próprios erros?


1 O céu anuncia a glória de Deus e nos mostra aquilo que as suas mãos fizeram.
2 Cada dia fala dessa glória ao dia seguinte, e cada noite repete isso à outra noite.
3 Não há discurso nem palavras, e não se ouve nenhum som.
4 No entanto, a voz do céu se espalha pelo mundo inteiroe as suas palavras alcançam a terra toda. Deus armou no céu uma barraca para o sol.
5 O sol sai dali todo alegre como um noivo, como um atleta ansioso para entrar numa corrida.
6 O sol sai de um lado do céu e vai até o outro lado; nada pode se esconder do seu calor.
7 A lei do Senhor é perfeita e nos dá novas forças.
Os seus conselhos merecem confiança e dão sabedoria às pessoas simples.
8 Os ensinos do Senhor são certos e alegram o coração. Os seus ensinamentos são claros e iluminam a nossa mente.
9 O temor ao Senhor é bom e dura para sempre. Os seus julgamentos são justos e sempre se baseiam na verdade.
10 Os seus ensinos são mais preciosos do que o ouro, até mesmo do que muito ouro fino.
São mais doces do que o mel, mais doces até do que o mel mais puro.
11 Senhor, os teus ensinamentos dão sabedoria a mim, teu servo, e eu sou recompensado quando lhes obedeço.
12 Quem pode ver os seus próprios erros? Purifica-me, Senhor, das faltas que cometo sem perceber.
13 Livra-me também dos pecados que cometo por vontade própria; não permitas que eles me dominem. Assim serei uma pessoa direita e ficarei livre do grave pecado da desobediência a ti.
14 Que as minhas palavras e os meus pensamentos sejam aceitáveis a ti, ó Senhor Deus, minha rocha e meu defensor!