terça-feira, 15 de setembro de 2015

SONHO...PESADELO...

Abro os olhos, mas só a minha sombra vejo.
Escuto com atenção, mas só me oiço a mim.
Tento limpar o suor que me fere a pele,
mas não me movo.
Quero andar, para onde não sei,
mas sinto-me preso.
Estou imóvel,
no mais alto de um monte
e o vento castiga-me o corpo,
marcando na pele sinais eternos.
Sinto, agora, frio…
Um frio horrível
que me transporta ao passado.
E eu vejo, através do quase impossível,
alguém nascer sem ser desejado,
crescer sem ser amado,
abandonado…
Tento ver-lhe o rosto, reconhecê-lo.
Consigo ver-lhe os olhos, o cabelo,
a expressão e…
sinto algo a segredar-me o seu nome
que eu não consigo ouvir
pois, neste momento, acordo.
Levanto-me e passeio pelo corredor.
Já não consigo dormir.
Aquele nome…
Paro em frente ao espelho,
que vigia os meus passos,
e há algo nos meus olhos
que me lembra alguém.
Não sei quem.
Volto a deitar-me
e adormeço…

Palavras Livres