quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Você tem olhos mas não vê... E ouvidos mas não ouve...


Deus rejeita o povo de Israel
12 O povo disse que o Senhor Deus o estava enganando. Eles disseram assim:
O Senhor não vai fazer nada. Nenhum mal vai acontecer com a gente, e não haverá nem guerra nem fome.
13-14 O povo diz que os profetas são apenas vento e que não têm nenhuma mensagem de Deus.
O Senhor, o Deus Todo-Poderoso, me disse:
— Jeremias, eu vou lhe dizer o que vai acontecer com esse povo por ter dito essas coisas. Eu farei com que as minhas palavras sejam como um fogo saindo da sua boca, Jeremias. Esse povo será como lenha, e o fogo vai queimá-lo.
15 Escute, povo de Israel, o que o Senhor diz:
— Eu, o Senhor, vou trazer de longe uma nação para atacá-los. É uma nação forte e antiga, que fala uma língua que vocês não conhecem e palavras que vocês não entendem. 16 Os soldados desse país são valentes; com as suas flechas, eles matam sem dó nem piedade. 17 Eles vão comer as colheitas e os alimentos de vocês e matar os seus filhos e filhas. Vão comer os rebanhos e o gado e devorar as frutas das suas parreiras e figueiras. E o exército deles destruirá as cidades protegidas por muralhas, em que vocês confiam.
18 — Porém eu, o Senhor, afirmo que mesmo naqueles dias não destruirei completamente o meu povo. 19 Quando perguntarem por que foi que eu fiz todas essas coisas, você, Jeremias, dirá: “Vocês abandonaram a Deus e serviram a deuses estranhos na terra de vocês; agora, servirão a estrangeiros numa terra que não é de vocês.”
Deus avisa o seu povo
20 Deus diz:
— Avisem os descendentes de Jacó, digam isto ao povo de Judá: 21 Preste atenção, povo tolo e sem juízo, vocês, que têm olhos, mas não veem, e ouvidos, mas não ouvem. 22 Eu sou Deus, o Senhor. Por que vocês não me temem? Por que não tremem na minha presença? Fui eu que pus a areia como limite do mar, um limite permanente que ele nunca pode atravessar. O mar fica bravo, mas não pode avançar; as ondas rugem, mas não podem passar. 23 Porém vocês são um povo teimoso e rebelde, que se revoltou e me abandonou. 24 Vocês não disseram no seu coração: “Precisamos temer o Senhor, nosso Deus, que faz a chuva cair no tempo certo, tanto a chuva do outono como a da primavera. Precisamos temer o Deus que todos os anos traz o tempo da colheita.” 25 Em vez disso, os seus pecados e as suas maldades afastaram essas coisas boas, e vocês não puderam aproveitá-las.
26— No meio do meu povo, existem homens maus. São como as pessoas que armam arapucas para pegar passarinhos; mas as armadilhas deles são para pegar gente. 27 Assim como uma gaiola está cheia de pássaros, também a casa deles está cheia de coisas roubadas. É por isso que são poderosos e ricos 28 e estão gordos e bem-alimentados. A maldade deles não tem limites; não defendem a causa dos órfãos, nem se importam com os direitos dos pobres.
29 — Mas eu os castigarei por causa disso e me vingarei desta nação. Sou eu, o Senhor, quem está falando. 30 Uma coisa horrível, espantosa está acontecendo na terra: 31 os profetas não falam a verdade, e, apoiados por eles, os sacerdotes dominam o povo. E o meu povo gosta disso. Porém o que é que eles vão fazer quando essa situação chegar ao fim?