sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Mas tu, ó Senhor, estás comigo e és forte e poderoso.

Jeremias e o sacerdote Pasur
1 Pasur, filho de Imer, era sacerdote e chefe dos serviços do Templo. Ele me ouviu dizer essas coisas 2 e por isso mandou que eu fosse surrado e preso com correntes no Portão de Benjamim, o portão de cima que dá para o Templo. 3 Na manhã seguinte, depois que Pasur me soltou das correntes, eu disse:
— O Senhor Deus mudou o seu nome de “Pasur” para “Terror-por-todos-os-lados”. 4 O Senhor mesmo disse: “Pasur, eu farei com que você seja um terror para você mesmo e para todos os seus amigos. Todos eles serão mortos pelas espadas dos inimigos deles, e você vai ver isso. Todo o povo de Judá será dominado pelo rei da Babilônia. Ele vai levar alguns para a Babilônia como prisioneiros e mandará matar outros. 5 Deixarei que os inimigos levem embora toda a riqueza desta cidade. Eles pegarão todas as coisas de valor e os tesouros dos reis de Judá e carregarão tudo para a Babilônia. 6 E você, Pasur, com toda a sua família, será preso e também será levado para lá. Ali você morrerá e será sepultado junto com todos os seus amigos, a quem você anunciou tantas mentiras.”
A queixa de Jeremias
7 Ó Senhor Deus, tu me enganaste, e eu fiquei enganado. Tu és mais forte do que eu e me dominaste. Todos zombam de mim, caçoando o dia inteiro.
8 Cada vez que falo, tenho de gritar e anunciar: “Violência! Destruição!” Ó Senhor, eles me desprezam e zombam de mim o tempo todo porque anuncio a tua mensagem.
9 Mas, quando penso: “Vou esquecer o Senhor e não falarei mais em seu nome”, então a tua mensagem fica presa dentro de mim e queima como fogo no meu coração. Estou cansado de guardá-la e não posso mais aguentar.
10 Ouço as multidões cochichando: “Há terror-por-todos-os-lados.”
E dizem: “Acusem Jeremias! Vamos denunciá-lo!”
Até os meus amigos íntimos esperam que eu tropece.
Eles dizem: “Talvez ele caia numa armadilha; então nós o pegaremos e nos vingaremos.”
11 Mas tu, ó Senhor, estás comigo e és forte e poderoso.
Os que me perseguem tropeçarão e nunca vencerão.
Eles ficarão muito envergonhados por causa do seu fracasso. A desgraça deles não acabará
e nunca será esquecida.
12 Assim, ó Senhor Todo-Poderoso, com justiça tu nos pões à prova, pois sabes o que está na nossa mente e no nosso coração. Deixa que eu veja a tua vingança contra os meus inimigos,
pois coloquei a minha causa nas tuas mãos.
13 Cantem ao Senhor Deus, louvem o Senhor porque ele livra os pobres do poder dos maus.
14 Maldito seja o dia em que eu nasci! Esqueçam o dia em que a minha mãe me deu à luz!
15 Maldito seja o homem que alegrou o meu pai quando lhe deu esta notícia:
“É menino! Você tem um filho!”
16 Que esse homem seja como as cidades que o Senhor Deus destruiu sem dó!
Que ele ouça gemidos de dor pela manhã e gritos de batalha ao meio-dia,
17 porque não me matou antes de eu nascer!
Pois assim a barriga da minha mãe teria sido a minha sepultura, e eu nunca teria nascido.
18 Por que nasci? Será que foi só para ter tristeza e dor e acabar a minha vida na desgraça?