sexta-feira, 28 de agosto de 2015

O Livramento Vem...

1 Quando Mordecai soube de tudo isso, rasgou a roupa em sinal de tristeza, vestiu uma roupa feita de pano grosseiro, pôs cinza na cabeça e saiu pela cidade, chorando e gritando. 2 Quando chegou à entrada do palácio, ele não entrou, pois quem estivesse vestido daquela maneira não podia entrar. 3 E, em todas as províncias, em todos os lugares onde foi lida a ordem do rei, os judeus começaram a chorar em voz alta. Eles se lamentaram, choraram e jejuaram, e muitos deles vestiram roupas feitas de pano grosseiro e se deitaram sobre cinzas.
4 Ester ficou muito aflita quando as suas empregadas e os seus eunucos lhe contaram o que havia acontecido. Ela mandou roupas para Mordecai vestir, mas ele não quis. 5 Então ela mandou chamar Hataque, um dos eunucos do palácio, que tinha sido escolhido para atendê-la, e ordenou que ele fosse falar com Mordecai para saber o que estava acontecendo e qual era a razão de tudo aquilo. 6 Hataque foi procurar Mordecai na praça que havia em frente do palácio, 7 e Mordecai contou tudo o que tinha acontecido com ele. Disse também a quantia exata que Hamã tinha prometido depositar nos cofres do rei como pagamento pela destruição de todos os judeus. 8 Mordecai entregou a Hataque uma cópia do decreto que havia sido lido por toda a cidade de Susã, ordenando que os judeus fossem mortos. E Mordecai pediu a Hataque que levasse a cópia a Ester, explicasse tudo direito e pedisse a ela que fosse falar com o rei e insistisse que ele tivesse piedade do povo dela. 9 Hataque fez o que Mordecai tinha pedido, 10 e Ester mandou Hataque entregar a seguinte resposta a Mordecai: 11 “É do conhecimento de todos, desde os servidores do palácio até os moradores de todas as províncias, que ninguém, seja homem ou mulher, pode entrar no pátio de dentro do palácio para falar com o rei, a não ser que tenha recebido ordem para isso. A lei é esta: quem entrar sem licença do rei será morto, a não ser que o rei estenda o seu cetro de ouro para essa pessoa. E já faz um mês que o rei não me manda chamar.”
12 Quando recebeu a mensagem de Ester, 13 Mordecai mandou o seguinte recado para ela: “Não pense que, por morar no palácio, só você, entre todos os judeus, escapará da morte. 14 Se você ficar calada numa situação como esta, do Céu virão socorro e ajuda para os judeus, e eles serão salvos; porém você morrerá, e a família do seu pai desaparecerá. Mas quem sabe? Talvez você tenha sido feita rainha justamente para ajudar numa situação como esta!”
15 Ester enviou a Mordecai a seguinte resposta: 16 “Vá e reúna todos os judeus que estiverem em Susã, e todos vocês jejuem e orem por mim. Durante três dias não comam nem bebam nada, nem de dia nem de noite. Eu e as minhas empregadas também jejuaremos. Depois irei falar com o rei, mesmo sendo contra a lei; e, se eu tiver de morrer por causa disso, eu morrerei.”
17 Aí Mordecai foi e fez tudo o que Ester havia mandado.

Comentário:

Ester foi uma mulher judia que teve um papel importante na preservação do seu povo quando um homem cruel tentou aniquilar os judeus. A história relatada no livro de Ester aconteceu poucas décadas antes da volta de Neemias, durante o reinado de Assuero (Xerxes I) na Pérsia (este rei governou de 486 a 465 a.C.) O livro é pequeno e a leitura é rápida e fácil.

Ester explica as origens de um feriado nacional importante para os judeus por meio de uma história de coragem por parte de pessoas com poder limitado para vencer um inimigo mais poderoso e salvar sua nação. A história começa com a explicação do processo que levou à coroação de Ester como rainha da Pérsia e continua explicando como ela ajudou seu parente, Mordecai, a frustrar o plano de Hamã que desejou exterminar os judeus.

Um dos fatos curiosos sobre o livro de Ester é sua distinção como o único livro na Bíblia que não usa, nenhuma vez, o nome de Deus. Mesmo sem citar o nome do Senhor, o livro demonstra a fé dos seus servos, principalmente de Mordecai. Em um momento crítico na história, ele procurou persuadir Ester a arriscar sua vida para salvar seu povo. Ele mandou esta mensagem à rainha: “Não imagines que, por estares na casa do rei, só tu escaparás entre todos os judeus. Porque, se de todo te calares agora, de outra parte se levantará para os judeus socorro e livramento, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para conjuntura como esta é que foste elevada a rainha?” (Ester 4:13-14). Ele mostrou sua confiança que o livramento viria “de outra parte”, obviamente confiando em alguém com poder para preservar este povo independente das tramas de homens maus. É possível, também, que o motivo de recusar a se prostrar diante de Hamã (Ester 3:2) tenha sido por motivos da sua fé, por acreditar que tal honra deve ser reservada para o Senhor. Sem falar o nome de Deus, Mordecai mostrou a sua fé nele.

A resposta de Ester também sugere sua fé. Ela pediu que todos os judeus jejuassem durante três dias antes de ela ir falar com o rei (Ester 4:15-16). O jejum servia para mostrar a angústia e aflição da alma diante de Deus, e normalmente foi acompanhado por orações. Ester, também, procurava uma resposta de alguém superior ao próprio rei e marido.

O conteúdo do livro de Ester pode ser descrito conforme seus capítulos:

Capítulos 1 e 2 descrevem os acontecimentos que levaram à escolha de Ester, uma moça judia também conhecida por Hadassa, como rainha da Pérsia.

Capítulo 3 explica os motivos do conflito entre Hamã e o povo de Mordecai (os judeus) e o plano para aniquilar os judeus. Os fatores principais foram dois: (1) Hamã se indignou porque Mordecai não deu para ele a veneração exigida por lei, e (2) A inimizade antiga entre seus povos – Hamã era agagita (amalequita) e Mordecai era judeu.

Capítulos 4 a 8 registram como Mordecai e Ester reverteram a situação, levando à morte de Hamã e conquistando uma ordem dando direito aos judeus a se defenderem contra os seus inimigos.

Capítulos 9 e 10 contam o desfecho desta história, com a defesa dos judeus e a inauguração do seu feriado nacional de Purim, comemorado até hoje no mês de fevereiro ou março.

Além do seu valor histórico em acrescentar conhecimento sobre o povo judeu nos séculos antes da vinda de Jesus, o livro de Ester é um importante exemplo de fé e coragem, mostrando como duas pessoas aproveitaram suas oportunidades e posições, arriscando suas próprias vidas para salvar muitas pessoas inocentes. Sem mencionar o nome de Deus, o livro mostra como o Senhor agiu por meio de Mordecai e Ester para proteger o povo de Israel. Menos de 500 anos depois, Deus usou este mesmo povo para cumprir sua maior promessa à humanidade: a vinda do Messias e Salvador, Jesus Cristo!

–por Dennis Allan