terça-feira, 23 de setembro de 2014

Na Estrada da Vida


Caminhe sempre em frente, mas não deixe nunca para trás o irmão que caminha ao seu lado. Se for necessário, estacione à beira da estrada para esperá-lo e, quando possível, parem juntos à sombra de uma árvore para descansar. Enquanto estiver caminhando, olhe sempre para frente, mas não se esqueça de olhar também para cima. Se for preciso, diminua o passo para observar melhor e, quando puder, deite-se na grama apenas pela alegria da contemplação.

À medida que for avançando, preste atenção no caminho, mas não deixe de observar também os sinais que vão ficando para trás. Se tiver chance, pare e faça anotações para ter como referência e, assim que puder, faça algumas cópias para ir entregando aos viajantes que encontrar na mesma estrada.

Conforme a noite foc hegando, mantenha-se sempre caminhando, mas não deixe que o curso se altere pela escuridão. Se for o caso, oriente-se pelas estrelas e, assim que possível, grave no coração os seus desenhos de luz para que lhe sirvam como intuição quando os olhos já não puderem vê-las.

Não importa o seu destino, vá sempre em frente, sem se esquecer de olhar para os lados, acima e em volta, descansando e agindo, trocando e aprendendo, caminhando e vivendo.

A vida é uma estrada, cujo destino você não conhece ao certo. Mas nada o impede de aproveitar bem a viagem e tudo o que a caminho lhe oferece.

Não conte o tempo, não marque a distância, pois nessa estrada suas medidas não servem. O que hoje parece ser, amanhã pode não ser mais. E o que ontem parecia estar aqui, hoje pode estar tão longe que não há como recuperar.

O que importa é continuar caminhando, sem medo e sem pressa.

Se a chuva pegar você no meio do caminho, não se incomode. Ela também vai passar, trazendo de volta o Sol que brilhava antes dela e que vai se esconder outras vezes quando outras chuvas vierem.

Lembre-se: você não conhece o destino final desta estrada, mas, seja qual for, você saberá quando chegar, pois, no fim dela, alguém o espera, sem jamais se cansar. 

Maísa Intelisano

Fonte: Clube Stum