domingo, 13 de novembro de 2016

Saudade Calada...




Saudade Calada

Esta Saudade Calada

Já não me fala mais nada
Com medo de machucar

Ela me aflige de noite

Como se fosse um açoite
Doendo de me matar

Ah!Esta Saudade Vazia!

Quando amanhece o dia
Maior é a agonia
Querendo me atormentar

A dor que mais me maltrata

É ter-te junto demais
Saudade de longe mata
De perto mata ainda mais

Quando a primavera chegar

E a primeira flor nascer
Vou esperar você voltar
Para a vida renascer

Quando o outono vier

E a última flor morrer
Quero ver você voltar
Para a vida reviver

Autora: Lúcia Helena Ribeiro

Paraíso do Tobias 
Miracema- R.J.